Grupo SGS, líder mundial em inspeção, verificação, testes e certificação, comunica aquisição de 75% da Unigeo, que agora passa a chamar-se SGS Unigeo.

Mídias

30

Junho

2015

06/2015 - Rede AgroServices - Agricultura de precisão ganha força no País

A história da agricultura de precisão no Brasil é conhecida. Quando chegou, há duas décadas, causou grande entusiasmo. A promessa de tratar cada pedaço de terra de acordo com as suas necessidades específicas, poupando insumos e elevando a produtividade, maravilhou a todos. Mas, no início, ficou nisso mesmo: muita promessa, pouco resultado. Faltavam equipamentos e dados apropriados à realidade brasileira, muito diferente da observada no hemisfério Norte, onde já era aplicada com sucesso. Faltava, segundo o professor José Paulo Molin, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), tecnologia apropriada para as condições tropicais – daí a decepção inicial.
De lá para cá, porém, muita coisa mudou. Embora ainda não tenha decolado como previam seus precursores, sua utilização vem ganhando força, embalada pelo barateamento de equipamentos, pela difusão do conhecimento, pela mentalidade das novas gerações de agricultores e pelo aprendizado acumulado. Ela proporciona um dos melhores caminhos para ganhos de produtividade. 

400% de Crescimento

A própria Bayer CropScience tem ajudado a difundir esse sistema no País, por meio dos serviços disponibilizados pela Bayer desde 2011. Entre as opções disponíveis, há serviços de agricultura de precisão de duas das maiores empresas do ramo no Brasil, a ApAgri e a Unigeo. 
“Nossa parceria começou em 2013 e teve forte aceleração recentemente”, conta Leonardo Gomes Cândido, sócio da Unigeo. “Em um ano, o número de clientes vindo por meio da Bayer cresceu 400%”.
A empresa, que tem sede em Goiânia (GO), utiliza imagens de satélite e amostras de solo para apontar em quais áreas é preciso melhorar a nutrição do solo e se há riscos de nematoides, parasitas que atacam o sistema radicular da planta comprometendo seu desenvolvimento. 

Equipamento e Gente

Outro serviço de agricultura de precisão oferecido pela Unigeo é uma ferramenta que proporciona todo o monitoramento do processo operacional agrícola. “Por celular, o produtor valida relatórios, anota o que observou no campo, tira foto, sem a necessidade de conexão com a internet”, afirma Cândido. 
Hoje, ninguém mais duvida dos benefícios da agricultura de precisão. Estudos apontam que a produtividade da lavoura pode aumentar entre 20% e 30% e a economia com insumos agrícolas, de 13% a 23%.  Mas um estudo recente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), mostrou que sua utilização ainda se restringe a alguns segmentos. Embora seja indicada para todo tipo de cultivo, por enquanto, a agricultura de precisão é mais usada nos plantios de soja, milho, feijão e trigo. 
O levantamento também aponta para uma percepção incorreta sobre a prática. Segundo Ricardo Inamasu, coordenador da rede de pesquisa de agricultura de precisão da Embrapa, há uma crença de que as técnicas exigem equipamentos muito sofisticados e máquinas de grande porte. “As máquinas são apenas ferramentas”, diz Inamasu. Segundo ele, o que faz a diferença mesmo é a disposição de reunir e analisar os dados de cada área de plantio para poder dar a elas um tratamento diferenciado. Todo o resto pode vir aos poucos.

Materia Publicada no site: Rede Agroservices

CLIENTES E PARCEIROS